Arquitetura e bem-estar: o que pode ser feito para ajudar as pessoas nos tempos atuais

O impacto da arquitetura na saúde mental das pessoas é um assunto frequentemente negligenciado. Muito mais do que cumprir aspectos funcionais, a arquitetura tem o objetivo de construir espaços de habitação agradáveis e que efetivamente melhorem a vida de todos aqueles que os frequentam. 

Arquitetura e bem-estar são conceitos que estão intimamente interligados. A disposição de um ambiente pode ajudar a aumentar a produtividade, níveis de satisfação e ainda contribuir para a diminuição do estresse. Quer saber como? Neste artigo, explicaremos a relação entre a arquitetura e a saúde mental com mais detalhes. Confira os próximos tópicos.

Como a arquitetura influencia na saúde mental e física?

De acordo com dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), adultos vivem cerca de 80% a 90% de seu tempo em ambientes fechados. Percebe-se, portanto, o inerente impacto que esses espaços têm na saúde física e mental dos indivíduos.

Nem sempre, no entanto, esses fatores de influência sobre o bem-estar são evidentes para todos. Um elemento tão simples, como uma cor de parede, por exemplo, pode ajudar a manter os ânimos mais calmos, ou incitar sentimentos de inquietação.

É por isso que arquitetos e outros profissionais da construção civil têm um papel tão importante na manutenção do bem-estar em espaços internos. Sua expertise e intuição ajudam na construção de imóveis mais otimizados, proporcionando maior comodidade. 

Isso pode ser aplicado em escritórios, por exemplo, para aumentar a produtividade e os níveis de satisfação dos colaboradores, mas também em residências. Uma casa com ventilação e iluminação adequada pode ajudar a controlar e prevenir doenças de ordem respiratória, além de otimizar o uso de recursos, como a energia elétrica. 

A acessibilidade também é uma prioridade na arquitetura do bem-estar. É importante garantir que todos os frequentadores do ambiente terão livre acesso aos espaços, sem serem limitados por seus aspectos físicos. Isso se aplica a pessoas com deficiência, é claro, mas também a grávidas, idosos e outras pessoas com dificuldades de locomoção.

Quais são as técnicas de arquitetura para gerar mais conforto para o corpo e mente?

Existem diversas técnicas utilizadas por arquitetos para promover mais bem-estar por meio da arquitetura. Algumas técnicas podem ser tão simples quanto utilizar cores calmas, ou tão sofisticadas quanto planejar a localização de móveis a fim de melhorar o fluxo de ventilação e iluminação no espaço. 

Entenda algumas das principais técnicas da arquitetura e bem-estar abaixo:

  • Usar elementos naturais, como madeiras e plantas;
  • Maximizar a absorção de luz e ventilação com janelas amplas e claras;
  • Cuidar do dimensionamento dos móveis a fim de não prejudicar a circulação de pessoas;
  • Utilizar portas e corredores amplos, facilitando o trânsito de pessoas com deficiência;
  • Escolher cores agradáveis;
  • Proporcionar ambientes com conforto térmico. 

Também é importante destacar que, para maximizar a sensação de conforto em ambientes internos, arquitetos e engenheiros precisam realizar projetos que se encaixem nas necessidades de seus clientes.

A pandemia mudou o mercado de arquitetura?

O mercado de arquitetura foi, certamente, muito impactado pela pandemia do coronavírus. Entre obras interrompidas e projetos sem prazos para retomada, o impacto no setor de design de interiores também foi notável.

Apesar disso, especialistas do segmento demonstram otimismo quanto à volta dos projetos. Com a popularização do home-office, a demanda por espaços de trabalho adequados dentro de casa aumentou. Além disso, empresas também atentam-se cada vez mais à importância da arquitetura e bem-estar no ambiente de trabalho, por isso é possível que a demanda por reformas do tipo também aumentem.

Especialistas do mercado também apontam que lojas de materiais de construção não foram impedidas de funcionar, mostrando a importância do segmento para a economia.

Arquitetura e Bem Estar
EN | PT