Como criar e promover uma arquitetura sustentável?

Nos dias de hoje, pensar em um projeto arquitetônico sem buscar princípios de sustentabilidade não é mais coerente. Ainda assim, não existe um consenso sobre o termo mais adequado para se tratar dessas práticas projetuais.

As definições, bem como terminologias, para definição desse tipo de projeto são infinitas: projeto sustentável, construção sustentável, edifício sustentável, edifício inteligente, tecnologias sustentáveis, materiais sustentáveis, entre outras. Mas, afinal, o que é a arquitetura sustentável?

Arquitetura sustentável é uma maneira de pensar sobre o projeto arquitetônico. Mais do que uma tendência, projetar de maneira sustentável é um ato de responsabilidade, pois visa a ações que causem menos impactos ao meio ambiente e que promovam uma redução de consumo de materiais, energia, água, etc.

Para garantir que os princípios de sustentabilidade sejam aplicados corretamente aos projetos, entidades desenvolveram processos de certificação que se encarregam de avaliar e reconhecer as soluções e tecnologias adotadas nos projetos e nas obras e que tenham comprovadamente reduzido os problemas ambientais e sociais provocados pelas construções.

Alguns princípios são fundamentais para o desenvolvimento de projetos sustentáveis, são eles: coerência; respeito; e visão global sobre a proposta. Existem diversas soluções tecnológicas, metodologias, soluções construtivas, mas, sem os princípios mencionados, todo o esforço se desfaz em um discurso de greenwashing. A construção sustentável precisa ser planejada com a finalidade de se traçar uma estratégia correta.

Vale reforçar que todo o esforço para “melhorar a sustentabilidade” de um projeto deve ser reconhecido como uma boa prática. A seguir, são listadas algumas soluções fáceis de se adotar em um projeto de arquitetura sustentável e que fazem toda a diferença:

  • Sistemas de autonomia de água, com captação de água de chuva e reuso de água;
  • Sistemas de autonomia de energia, principalmente a energia solar;
  • Sistemas pré-fabricados de construção – evitam o desperdício na produção racional e de resíduos de obra;
  • Paredes verdes e cobertura jardim – melhoria ambiental e melhorias termoacústicas;
  • Automação predial – tecnologia que ajuda as pessoas a gerirem espaços e consumos, evitando desperdícios.

O projeto Paisagens de Luz, realizado pela Plantar Ideias na CASACOR São Paulo em 2018, é um bom exemplo do que se espera de uma arquitetura sustentável, que alia princípios a soluções a fim de alcançar o objetivo da sustentabilidade.

  • A proposta utilizou pisos e estruturas pré-fabricadas, como as piscinas, que reduzem o desperdício do canteiro de obra.
  • As espécies vegetais utilizadas são, em sua grande maioria, nativas e possuem melhor adaptação ao meio ambiente.
  • Todo o espaço contou com controle de automação para ativar e desativar sistemas de filtragem, sistemas de iluminação com lâmpadas LED, sistema de som, em função das horas do dia e da presença de visitantes.

arquitetura sustentável

  • Todas as escolhas das soluções buscaram ser coerentes com a necessidade e esforço cabíveis a um espaço temporário, havendo a reversibilidade total dos materiais e insumos utilizados com o término do evento. Todas as plantas foram revertidas para o plantio de um jardim de uma residência, todo o piso foi implementado em uma praça urbana e cabos e sistemas elétricos, doados para uma obra social.

A visão global sobre o início, meio e fim do projeto, associada às soluções técnicas, foi o que tornou o projeto sustentável. Veja mais sobre o projeto Paisagens de Luz.

Confira também: Ideias de Paisagismo

EN | PT
error: Content is protected !!